2 de março de 2017

A música e o amor

Lembro-me como se fosse ontem. Ia no carro, passava a música que eu já sabia de cor e eu com a cabeça encostada ao vidro a ver a lua seguir-nos. A música brasileira tem um encanto qualquer e dentro daquele carro respirava romance. Eu era só uma miúda, nem tinha autorização para andar no banco da frente, mas já tinha uma pequena noção do que era o amor, do poder que as pessoas tinham sobre as outras. Na parte da frente do carro seguiam eles, apaixonados, nem se apercebiam da música e falavam e riam por cima de tudo. Como podiam não notar? A música! Sempre pedi para aumentar o volume mas raramente me ouviam. Eles seguiam apaixonados e riam e eu seguia atrás escutando tudo, tudo o que nunca diziam, a música falava sempre mais alto do que eles para mim. A viagem durava sempre uma eternidade, durava tanto que por vezes eu caía no sono embalada pelo som da música, da voz deles... Eu sabia que amor eram aquelas viagens, aquelas músicas, aquele carro, aquelas pessoas.

É engraçado, eu sempre achei que sabia o que era o amor. 

Naquela altura eu não passava de uma miúda e achava que o amor se dava num carro, com música, vozes suaves e pessoas que importavam. Tenho uma ideia distorcida do amor, talvez. À medida que fui crescendo, eu troquei aquelas músicas por tantas outras mas lembro-me de tirar o som do mp3 para ouvir aquela música e ouvi-los falar e rir, como sempre. Lembro-me de uma ou duas músicas desses tempos como as referentes à banda sonora da minha vida da altura, e aqueles dois apaixonados do banco da frente a serem felizes e apaixonados é a referência que tenho do que é o amor. Eu era uma miúda, eu era uma adolescente e ainda sou muito jovem mas os anos passam e o carro já não é o mesmo, as viagens parecem mais curtas e o rádio está sintonizado na Rádio Comercial. A mulher que viaja no banco da frente de vez em quando aumenta o volume e diz que adora aquela música. Mas para mim, a música que toca, é outra e se eu fechar os olhos e me concentrar eu podia jurar que volto àquele carro e oiço aquelas músicas...  A música brasileira tem um encanto qualquer e eu aprendi a falar sobre o amor dando sempre o mesmo exemplo. Aquele casal apaixonado na frente do carro. Os meus pais.

1 comentário:

  1. Não sou grande fã de música brasileira mas espanhola deixa-me encantado por isso já sabes eheh
    Muito bom o texto e revi-me nele *-*

    ResponderEliminar